Sunday, April 23, 2006

ANIBAL - 1917-10-16, 2006-04-23 (88 years old) (in portuguese and english)



A HERO STORY - UMA HISTÓRIA DE UM HERÓI.

O meu único avô ANIBAL que ainda estava vivo morreu hoje.
Pai do meu pai. Agora só tenho as minhas 2 avós.
Viveu 88 anos cheios de trabalho.
Viveu em Portugal e em Angola.
Trabalhava em minas e construiu estradas em Angola.
Tinha uma alegria imensa quando se falava de minas, de pedras preciosas e seus derivados.
Era uma figura de género militar, que quando era novo quase nunca deu liberdade aos filhos.
Mas que amava os filhos mesmo sem o mostrar.
...
Na 4ª passada teve um AVC que o fez ir de urgencia para o hospital de Almada.
Teve já no hospital outros 2 AVCs.
Foi operado por duas vezes na 6ª e no Sábado.
Mas piorou de operação para operação.
Hoje Domingo apenas ligado a uma máquina já sem qualquer reação.
Foi-lhe desligada a máquina com a autorização do filho-herói (meu pai, FERNANDO).
Estou a tentar escrever, mas está-me a custar muito.
Lágrimas e muito nervoso estão-me a aparecer neste momento.
...
O meu avô foi-se.
Fui vê-lo na 6ª de manhã depois de ter ido buscar o meu pai ao aeroporto.
Chegado de urgência da Florida, USA.
...
6ª de manhã, fui ver o meu avô.
Acordei-o de um descanso. Estava ligado a uma maquina de gás e entubado.
Dei-lhe 2 toques no ombro algumas vezes para o acordar.
Acordou, olhou para mim e sorriu. Notei-lhe uma alegria por me ver.
Eu disse que estava ali para o ver e para falar com ele.
Ele olhou para mim e disse-me que eu estava muito cansado, olheiras.
(Eu tinha dormido pouco, tinha-me deitado ás 2h15 e levantado ás 6h00).
Perguntou-me se eu já estava nos Estados Unidos,
(pois sabia que eu queria ir para lá, meu pai tinha-lhe dito uns minutos antes).
Ele, o herói deitado, continuou a olhar para mim e falou-me no meu cabelo, estava curto.
Disse-lhe que tinha cortado o cabelo hà pouco tempo.
Trocámos mais umas pequenas palavras que já não me lembro bem.
Disse-lhe que a minha tia (filha MARGARIDA e irmã do meu pai) estava lá fora.
Dei-lhe um adeus triste.
E deixei-o descansar em paz.
...
Foram os meus últimos minutos com o grande ANIBAL SOUSA MARQUES (Eng.).
...
Obrigado avô por existires.
...
Obrigado avó CÉLIA por seres a grande mulher que és e por teres resistido a tua vida toda.
...
Obrigado tia MARGARIDA por estes últimos anos teres estado sempre ao lado dos meus avós.
...
E muito obrigado ao meu PAI FERNANDO por seres quem és.
...
Um grande obrigado MUITO ESPECIAL aos meus pais, TERESA (mãe) e FERNANDO (pai) pela educação que me deram que me fizeram um rapaz muito sensivel e muito especial.
...



UMA HISTÓRIA DE UM HERÓI - A HERO STORY.

My only grand-dad ANIBAL that was still alive died today.
Father of my father. Now I only have my 2 grand-moms.
Lived 88 years full of work.
Lived in Portugal and in Angola.
Worked in mines and built roads in Angola.
Had a great joy when mines and precious-stones appeard on talks.
Was a military figur, when he was new almost never gave freedom to his sons.
But he loved his son and daughter even without whowing.
...
Last Wednesday had an AVC that took him urgently to the Almada General Hospital.
Had another 2 AVCs already on the hospital.
Was operated twice on Friday and Saturday.
But operation to operation become worse.
Today Sunday only connected trough a machine without any reaction.
His machine was turned off with the autorization of the son-hero (my father, FERNANDO).
I'm trying to write, but is becoming very hard.
Tears and nervouseness are appearing right now.
...
My grand-dad gone.
I went to see him Friday morning after I pick up my father on the airport.
Just arrived with urgency from Florida, USA.
...
Friday morning, I went to see my grand-dad.
I woke him up from some resting minutes. He was connected to the machine of gas and with tubes in him.
I touch him twice on his shoulder to wake him.
He woke up, looked at me and smiled. I noticed on him a joy for seeing me.
I said I was there to see him and to talk to him.
He looked at me and told me that I was very tired, dark circles (under the eyes).
(I slept few hours, I had gone to bed on 2h15 and I woke up at 6h00).
He asked me if I was already on the States,
(he knew I wanted to go there, my father already told him a few minutes early).
He, the lie down hero, continued to look at me and talked about my hair, it was short.
I told him I had cut my hair a few days ago.
We changed a little more words that I don't remember well now.
I told him that my aunt (daughter MARGARIDA and sister of my father) was outside.
I gave him a sad goodbye.
And let him rest in peace.
...
It was my last minutes with the great ANIBAL SOUSA MARQUES (Eng.).
...
Thank you grand-dad for you to exist.
...
Thank you grand-mom CÉLIA for being the great woman you are and for being resisted all of your life.
...
Thank you aunt MARGARIDA for these last years to be always on the side of my grand-parents.
...
And thank you to my FATHER FERNANDO for being who you are.
...
A big VERY SPECIAL thank you to both my parents, TERESA (mother) and FERNANDO (father) for the education you gave me that made me be a very sensitive and very special boy.
...



Here I add 3 photos of my grand-dad Anibal. They are all here to make me remember of the hapiness and joy of him. I spent many of my years in his home near Sesimbra on holydays since I was a little lad. I will never forget all of those times. Where I break all the house-doors. Where I did many watering irrigation, to not only to the plants but to people and to everything I had in my front, hehe. Those were good times.

Now, let's wait for the future...

7 comments:

Fernando Sousa Marques said...

O meu filho Pedro é um heroi. Uma pessoa sensível e única (como, aliás, todos somos). Dá trabalho conhecê-lo porque se fecha em si próprio e no seu mundo de interesses. Mas quando começamos a descobri-lo, é um novo mundo que se nos abre e, por vezes, nos espanta.
É uma felicidade ter um filho assim.
Fernando

GK said...

Lamento muito. Muito mesmo. Se precisares de conversar...

Bj.

ana said...

pedro, lamento muito! FORÇA!!! bjinhos, ana

Bárbara Vale-Frias said...

Ai, como custa perde um avô ou uma avó...! :( Lamento tanto a tua perda!

Só tenho uma avó viva. Primeiro foram os avôs, um de enfarte porque fumava 4 maços de tabaco por dia; depois o outro porque trabalhara dezenas de anos numa fábrica de cortiça que lhe dizimou os pulmões!

Depois, já 15 anos depois da minha primeira perda, morreu a minha avó, atropelada numa passadeira em Almada :(

Esta sim, foi a minha mais dolorosa perda até hoje. Primeiro porque já era mais crescida e já avaliei doutro modo a sua morte. Depois, porque era a minha melhor amiga, a minha confidente. Por fim, porque nem sequer me consegui despedir da minha avó :(

Ela faleceu no momento do embate, tal forte ele foi! E o que, no meio disto tudo me magoa ainda mais, é ainda não ter conseguido ouvir da boca de um juíz a palavra "CULPADO" dirigida ao homem que, a alta velocidade, não parou para ela atravessar como o outro carro o fez.

Desculpa este desabafo... mas continuo revoltada. Não com a morte, mas com o modo como tal aconteceu.

Um beijinho para ti e para os teus. Que saibam seguir em frente, como o teu avô iria querer que acontecesse.

Bárbara

P.S. Obrigada pela passagem e comentário no Sublimações :)

Amor Maior said...

Entendo bem o que aqui escreveste. Vai fazer um ano que a minha avó materna e madrinha também foi parar ao hospital com um AVC. O último dia em que a vi com vida foi no dia dos meus anos... Para nós ficam as lembranças, mas quando a saudade vem é terrível! Beijo meu

Ana Sofia Santos said...

xôr pedro eu é k lhe dou um beijo espero k estejas melhor dentro do possivel
beijos

Vasco FG. said...

Olá Pedro. Queria deixar aqui um abraço para ti e para a tua família. O teu avô vai continuar para sempre na memória de todos que tiveram a sorte de o conhecer.

Um abraço.